Entrevista com The Vacant Shapes: a banda que mescla Nirvana com o New Indie.

Atualizado: 29 de Abr de 2020

Ninguém espera nada de uma propaganda de instagram, porém, semana passada o álbum, “Furniture Rearranged”, nos fez mudar de ideia. O novo disco da banda americana The Vacant Shapes, mescla elementos do Garage rock "Nirvanesco" com o novo Indie. O grupo deu uma entrevista para gente, confere ai:

Origem da Banda

O grupo dos Estados Unidos, começou a ser formado em 2006 quando, com a formação de Robert Ochoa (baixo), Gregg Gross (bateria) e Rich Shackelford (guitarra e vocal) contaram um pouco sobre a origem despretenciosa da banda. Rich colocou algumas de suas composições no Myspace, e Robert Ochoa o respondeu dizendo que tocaria baixo nas suas demos de Rich.

Palavras de Rich

Robert estava morando entre a casa dos amigos e o carro dele na época, e eu lembro de buscá-lo para tocar com meu amigo baterista, e ele não tinha o baixo dele! Dirigimos para a casa de seu amigo, onde ele estava guardado, mas o amigo não estava em casa e as portas estavam trancadas. Acabamos voltando para minha casa e Robert fez um teste para a banda no meu violão. Tenho certeza de que faltavam algumas cordas também. Lembro depois de dizer ao meu baterista, que não acho que deveríamos tentar Robert novamente.
Cerca de 6 meses depois, meu baterista apareceu em minha casa com Robert (desta vez com seu baixo!) E ele se juntou à banda e tivemos uma boa jornada até 2010/2011 com essa formação. Eu me mudei para Los Angeles e Londres por um tempo depois disso para buscar outras oportunidades musicais, e quando voltei em 2013, Robert e eu tínhamos uma ideia para uma banda e o que queríamos fazer e começamos o The Vacant Shapes. Acho que passamos por cinco ou seis bateristas até conhecermos Gregg Gross em 2016.”

The Vacant Shapes vale a pena?

Chegou a hora de falarmos de música, e aqui temos uma banda, realmente entrosada. Vocês podem prestar atenção, nas nuances, todas bem construídas, um bom exemplo é a faixa “Great Barrier Grief” um elogio para o Chorus usado na guitarra. Tem uma coisa que a banda, trouxe nesse trabalho que falta muito hoje nas bandas, que são as explosões no melhor estilo underground, sendo o principal responsável Gregg Gross, usando o Chimbal aberto e sem medo de tocar os pratos, (afinal baterista precisa de barulho).

A faixa “All My Friends” que ao mesmo tempo consegue ser incrível, com a linha de baixo de Robert Ochoa, a guitarra é óbvia de mais em C maior. Mas a participação de Rich nessa faixa se baseia no seu ótimo vocal, que alias seu é simplesmente fenomenal no disco inteiro. Então sim; The Vacant Shapes vale a pena!

O envolvimento com a produção toda do álbum:

O disco da banda soa bem crú, contendo poucos efeitos além de uma drive de guitarra presente. A bateria é crua, o baixo também, tudo soa como realmente é, uma característica que muitas vezes nos traz a impressão que estamos dentro de um bar curtindo o som da banda. Isso faz parte do selo e gravadora da banda Thick Honey Records, que surgiu para apoiar o livre desenvolvimento artístico:


Fazer tudo sozinhos é natural para nós e não tenho certeza se realmente sabemos de outra maneira. Eu acho que estamos apenas envolvidos em discussões e sempre nos ocupamos criando, e é uma ótima sensação saber o que temos, é por causa do trabalho e sacrifícios que nós mesmos colocamos. Produzimos tudo nós mesmos, criamos nossa própria arte, abrimos um pequeno local underground para bandas locais em turnê tocar e lançamos tudo sob nosso selo, Thick Honey Records.
É bom ter a liberdade de nos expressar como queremos e ter encontrado uma maneira de combinar minha arte com a música. Pode ser cansativo, mas é super recompensador. Adoro criar e seguir em frente constantemente. No momento, estou produzindo e mixando um lote de novas músicas que acompanhamos por conta própria em casa e mesmo que eu não esteja dormindo muito, não poderia estar mais animado com isso”

Legal conhecer uma banda que apoia nossa cena under não? Nós da Só Wave, estamos muito felizes em mostrar essa banda para vocês!

Presentinho: Curtam nossa playlist- Rock me Bitch, um compilado de rock sujo que você vai curtir:


  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram